Notícias : A barriga da filha não para de crescer: quando os médicos olham dentro dela, eles entram em pânico

A barriga da filha não para de crescer: quando os médicos olham dentro dela, eles entram em pânico

Os médicos entraram em pânico e o tempo estava a esgotar-se.

Publicado por Vamos lá Portugal em Notícias
Partilhar no Facebook
1,521 1.5k Partilhas

A barriga da filha não para de crescer: quando os médicos olham dentro dela, eles entram em pânico

Esperar uma criança pode ser muito excitante para qualquer pai ou mãe. Mas quem tem um filho ou está à espera de um, sabe que, junto com a emoção, vêm outras emoções, como medo, ansiedade e preocupação.

Quando se trata de gravidez, ambos os pais podem sentir-se ansiosos de que tudo corra bem e que tanto a mãe como o bebé estejam tão em saúde quanto possível.

Dar a luz a um bebé que não está bem é, portanto, uma experiência devastadora pela qual nenhum pai deveria ter que passar.

Infelizmente, esse foi o caso de Amanda e Justin, de Illinois, EUA, quando a sua preciosa menina Braylee ficou doente poucos meses depois de ela nascer. 

Você pode imaginar a felicidade que Amanda e Justin sentiram depois dos 9 meses de espera e imaginando como seria a sua filhinha.

Mas, infelizmente, apenas alguns meses depois de ela nascer, eles notaram que algo não estava bem com a sua filhinha. A sua pele tinha um tom amarelado e estava claro que ela não estava bem.

No dia 3 de fevereiro de 2016, os pais descobriram que a sua menina tinha uma doença hepática rara chamada atresia biliar, o que significa que ela nasceu sem uma vesícula biliar, o órgão crucial onde a bile é armazenada e depois liberada no intestino delgado. O órgão desempenha um papel importante no processo de digestão, que é especialmente importante para a saúde e o crescimento de um recém-nascido. 

A jornada de Braylee com atresia biliar

Os médicos informaram aos pais de Braylee que a sua condição era crítica.

Amanda e Justin ficaram arrasados.

Os médicos operaram Braylee, conectando o seu fígado aos intestinos, mas isso infelizmente não resolveu o problema e a menina continuou doente. 

A condição de Braylee deteriorou-se. O seu estômago ficou inchado até ficar do tamanho de um grande balão.

Os médicos concluíram que a menina precisava de um transplante de fígado o mais rápido possível. 

Infelizmente, nenhum doador de fígado de emergência estava disponível no momento.

A família estava desesperada.

Depois de falar com os médicos e uma consideração cuidadosa, Justin ofereceu-se doar uma parte do seu próprio fígado para salvar a vida do seu bebé.

A operação foi muito arriscada e poderia danificar a própria saúde de Justin. Mas o pai não se importava - ele só queria ver a sua filhinha viva e feliz. 

Mas assim que Justin se estava a preparar para passar pela operação, um milagre aconteceu.

De alguma forma, na hora certa, um doador de fígado foi encontrado. O fígado do homem falecido seria usado para dois bebés e Braylee seria um deles.

A cirurgia de transplante foi um sucesso. 

Braylee respondeu muito bem ao seu novo fígado e gradualmente começou a desenvolver-se numa menina saudável. A cor de pele voltou ao normal e ela era toda sorrisos, assim como qualquer outra criança.

Já faz mais de um ano desde que Braylee chegou a casa do hospital. Agora com 19 meses, as suas fotos recentes realmente mostram a diferença que o ano fez. 

Graças a um ser humano muito generoso que se autoproclamou como um doador de órgãos, esta menina teve a chance de viver.

Queremos agradecer a todos os doadores de órgãos por aí. Eles são verdadeiramente anjos disfarçados. 

Esta é uma história notável e desejamos a Braylee e à sua família a melhor das sortes.

Estas pessoas passaram por tanta coisa! Por favor, honre-as a elas e à sua luta, partilhando a sua história com todos os seus amigos.

Partilhar no Facebook
1,521 1.5k Partilhas

Fonte: newsner · Crédito foto: newsner

Goste/partilhe