Notícias : Um arqueólogo sentiu a “natureza a chamar” e foi até uma pedra. Pouco depois, ele gritou do fundo dos pulmões!

Um arqueólogo sentiu a “natureza a chamar” e foi até uma pedra. Pouco depois, ele gritou do fundo dos pulmões!

Arqueólogos descobrem antigo refúgio aborígene na Austrália.

Publicado por Vamos lá Portugal em Notícias
Partilhar no Facebook
303 303 Partilhas

Algumas descobertas foram feitas por coincidência, acidentes, ou por sorte, como lhe quiser chamar…

Por exemplo, o celofane foi criado após várias tentativas de criar têxteis à prova de água. A Coca-Cola surgiu após uma tentativa de curar problemas digestivos, com partículas energéticas. Quem diria? A geleia do petróleo, ou vaselina foi descoberta por acidente na indústria petrolífera. O investigador que descobriu os efeitos dos raios-X, estava focado noutro projeto.

Em suma, a lista é longa, e o nosso protagonista hoje é o arqueólogo Clifford Coulthard… 

O antigo refúgio aborígene, foi descoberto por acidente. Uma equipa de cientistas estava a trabalhar, mas com pouco sucesso, na área montanhosa do continente Australiano, a quinhentos quilómetros da cidade Adelaide. Mas, tudo mudou de repente quando Clifford teve de fazer as suas necessidades. 

Antes da “chamada da natureza”, o homem ia em direção às pedras. Mas então, uma coisa captou a sua atenção, algo que o fez esquecer-se do objetivo da viagem. A rocha estava cercada de esculturas antigas! Aquela caverna já tinha sido habitada por alguém, à muitos anos… 

Clifford, então, deu alarme das suas descobertas. A decisão foi unânime: as esculturas tinham de ser carregadas! Hoje, o sítio descoberto pela equipa de Coulthard é um dos monumentos arqueológicos mais importantes no território australiano. Crê-se que tinham vivido humanos ali, há mais de 40 mil anos. 

As covas foram cobertas por instrumentos de análise. Para além disso, foram encontrados vestígios humanos, ossos de animais, cascas de ovo, cinza, machados, socos, e ainda restos de uma pintura cerimonial foram descobertos. 

Entre estas descobertas fascinantes, vestígios de 16 espécies de mamíferos foram encontrados, entre eles, o que mais se destaca é o enorme Diprotodon. Este foi o maior marsupial que já existiu na Terra! 

Externamente, esta criatura gigante parece um vombate (Vombatus ursinus), contudo, o seu tamanho não tem comparação com os seus descendentes fofos. O tamanho do diprotodon não foi menor do que os rinocerontes, e os cientistas acreditam que ele originou a lenda do Bunyip, um monstro que habitava os pântanos da Austrália. 

É de se notar a coragem dos caçadores primitivos. Visto que foram encontrados muitos vestígios de Didoproton nas cavernas, acreditamos que esta besta era a sua presa favorita.

Mas, aparentemente, isto não foi a paragem permanente dos aborígenes australianos. Tudo indica que se refugiavam nas cavernas, mas apenas quando o clima não os permitia acampar na rua 

A descoberta de Clifford foi um passo muito importante para o estudo destes habitantes ancestrais na Austrália. Foi provado que estas pessoas se adaptaram ao clima do continente, mais rápido do que os historiadores pensavam, preferindo sempre as áreas perto dos rios. 

Consegues imaginar como seria se Coulthard não precisasse de fazer as suas necessidades ali mesmo? Apenas Deus sabe por quanto tempo estes antepassados australianos iriam continuar escondidos!

Seja sorte, seja o destino, só podemos agradecer a descoberta. Achaste este artigo interessante? Se sim, partilha-o com os teus amigos, eles vão adorar…

Partilhar no Facebook
303 303 Partilhas

Fonte: Qué pasada · Crédito foto: Qué pasada

Goste/partilhe