Notícias : Uma menina passa 13 horas à mesa urinada e em hipotermia

Uma menina passa 13 horas à mesa urinada e em hipotermia

O “limite foi, e de longe, excedido”

Publicado por Vamos lá Portugal em Notícias
Partilhar no Facebook
432 432 Partilhas

Uma menina passa 13 horas à mesa urinada e em hipotermia

Um pai que obrigou a sua filha de oito anos a comer todos os vegetais foi condenado por sequestro. A identidade do homem não será tornada pública para proteger a da filha.

O pai, um homem de 42 anos, serviu couve de Bruxelas à sua filha para o jantar, por volta das 19h. Em vez de privá-la da sobremesa quando a menina não quis comer todos os vegetais, o pai obrigou-a a ficar à mesa ... até às oito horas da manhã seguinte. A filha de 8 anos de idade permaneceu 13 horas nas frente das suas couves de Bruxelas frias, ela passou várias horas na própria urina e sofreu de hipotermia, na noite de 23 para 24 de Janeiro de 2016. Quando ela adormecia na cadeira, o pai acordava-a. A menina finalmente vomitou tudo de manhã.

A menina testemunhou contra o pai, mas também havia provas contundentes. O homem gabou-se, num texto enviado à esposa, de "querer quebrar" a sua filha.

"Ela não queria comer couve de Bruxelas. Eu proibi-a de se levantar da mesa ", escreveu ele de manhã.

"Até as 23 h, quando a sua irmã de 10 anos foi para a cama, foi uma chantagem emocional misturada de regateios. [...] depois, ela queria fazer xixi ... eu deixei que urinasse na cadeira. O engraçado é que ela nunca tentou se levantar sem o meu consentimento ... Mas nada de comer os legumes ".

"Exausta, em hipotermia, urinada e a berrar para dormir, acabamos por fazer uma acordo (eu concedi mais do que eu queria)."

"Ela vomitou os repolhos engolidos. Ela tinha 1 deixado no prato. Ela sabe que vai comê-lo ao levantar-se ".

A mãe nunca expressou a sua discordância na troca de mensagens de texto, mas disse no tribunal que essa experiência traumatizou a sua filha.

O "limite foi, de longe, excedido", escreveu o juiz Jean-François Gosselin na sua decisão, acrescentando que a menina foi "abusada e humilhada".

"Não é a criança, que mal tem a idade da razão, que deve ser responsabilizada ou co-responsável por essa crueldade: é antes o adulto, em princípio dotado de razão, que perdeu todo o discernimento. ".

O mais chocante é que o pai, um Canadiano que vive no Outaouais, também é professor de tecnologia de educação especial e graduado em psicoeducação.

"Não se trata de um pai limitado ou indefeso que entende mal a natureza ou o escopo do que constitui métodos educacionais aceitáveis", escreve o juiz Gosselin, descrevendo a situação como "aberrante" e "perturbadora". "

Não apenas ele "conhece as regras da arte nessa área, mas ensina-as", disse ele.

O pai foi acusado de sequestro, abuso e assalto com uma arma. Ele declarou-se culpado de uma acusação reduzida de confinamento e foi condenado a quatro meses de prisão na comunidade. Ele também deve pagar $ 500 a uma instituição de caridade e fazer 50 horas de serviço comunitário.

Partilhar no Facebook
432 432 Partilhas

Fonte: Ayoyemonde · Crédito foto: Ayoyemonde

Goste/partilhe