Notícias : Uma rapariga de 17 anos é forçada a dar à luz na rua.

Uma rapariga de 17 anos é forçada a dar à luz na rua.

Não há palavras para descrever isto.

Publicado por Vamos lá Portugal em Notícias
Partilhar no Facebook
1,551 1.6k Partilhas

Uma rapariga de 17 anos é forçada a dar à luz na rua.

Por vezes há histórias que tiram parte da nossa fé na humanidade...

Além disso, a história que vamos partilhar convosco é, infelizmente, um bom exemplo.

Aconteceu em agosto de 2017 na Índia, mas mesmo vários meses depois, continua a indignar.

Foi na aldeia de Jharkhand que uma menina de 17 anos teve de dar à luz na rua, porque os funcionários de uma clínica médica recusaram-se a ajudá-la.

A adolescente estava a namorar com um homem da mesma aldeia, mas ele decidiu deixá-la assim que soube que ela estava grávida.

Ao mesmo tempo, a família da menina decidiu virar as costas completamente, porque os seus parentes temiam ser a vergonha da aldeia.

Assim, a jovem teve que deixar o ninho da família e durante os últimos 4 meses de gravidez, foi condenada a viver na rua.

Mas quando a jovem sentiu os primeiros sinais de trabalho de parto e soube que daria à luz em breve, ela foi para o Chandil Sub Divisional Hospital.

No entanto, como a adolescente não tinha ninguém a acompanhar, os funcionários da clínica médica recusaram-se a ajudá-la. A equipa médica disse que não queria assumir a responsabilidade pelo tratamento.

Algumas horas depois, a jovem foi forçada a dar à luz do lado de fora, isto a apenas trinta metros da clínica médica. 

Foi um transeunte que reparou nas roupas manchadas de sangue estavam ao lado da jovem mãe que finalmente alertou as autoridades para relatar a situação.

Um homem de 50 anos chamado Om Prakash Sharma disse à imprensa local: "A mãe e o seu bebé estavam deitados na rua e estavam a sofrer, e eu coloquei sinais ao redor deles para impedir que um veículo os atingisse. Um homem foi à clínica médica pedir ajuda, mas eles recusaram-se a ajudar. Disseram que não podiam admitir a menina porque ela não tinha os pais com ela para cuidar dela, então decidimos alertar a polícia. " 

Quando o Dr. Lakhindra Hansda ouviu falar da história, ele foi imediatamente ter com a adolescente para cortar o cordão umbilical do bebé.

Os bons samaritanos transportaram a jovem mãe para a clínica médica onde finalmente concordaram em admiti-la. 

De acordo com a Dra. Lalita Kashyap, que trabalha no Chandil Sub Divisional Hospital, o que aconteceu é inaceitável.

Os oficiais do Hospital Sub-Divisional Chandil pediram desculpas por tal situação e asseguraram que a mãe e o bebé estavam bem.

Partilhar no Facebook
1,551 1.6k Partilhas

Fonte: Ayoyemonde · Crédito foto: Ayoyemonde

Goste/partilhe